Páginas

20 de julho de 2016

A caminho da delação, Duque é transferido para carceragem da PF

Renato Duque depõe na CPI da Petrobras - 19/03/2015
Preso no Complexo Médico de Pinhais desde julho de 2015, o ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque foi transferido na manhã desta quarta-feira para a carceragem da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba. Investigadores da Operação Lava Jato revelaram a VEJA que a transferência é o primeiro passo para que o ex-diretor, que voltou a pleitear um acordo de delação premiada, passe a organizar os fatos que poderá delatar em futuros depoimentos.

Investigado por operar propinas bilionárias do petrolão para o caixa do PT, Renato Duque já foi condenado pelo juiz Sergio Moro em três processos. As penas, somadas, ultrapassam os 60 anos de prisão pelos crimes de corrupção passiva, organização criminosa e lavagem de dinheiro. Duque já havia tentado negociar um acordo de delação premiada, mas os fatos que o ex-diretor da Petrobras apresentou em sua primeira tentativa de acordo foram considerados insuficientes pelos procuradores da Lava Jato.

Duque responde a vários processos na Lava Jato. Todos estão suspensos pelo juiz Sergio Moro até que a nova rodada de negociações com os procuradores tenha desfecho. Oficialmente, os motivos da transferência de Duque são mantidos em sigilo. “Os motivos da transferência são sigilosos. Não podemos nos manifestar a respeito disso”, diz o advogado Adriano Bretas, responsável pela defesa de Duque.


Fonte: Veja.com

Nenhum comentário: