Páginas

18 de maio de 2016

Temer planeja pronunciamento sobre números da economia. Herança maldita do petismo tem de vir à luz


O presidente Michel Temer parece ter decidido fazer a coisa certa. Planeja um pronunciamento à nação em que vai exibir a realidade que herdou de Dilma Rousseff. É o certo! Que o faça! Que o levantamento seja o mais detalhado possível e que a equipe de comunicação recorra aos modernos instrumentos de edição de imagem para deixar claro o descalabro das contas públicas.

O pronunciamento não precisa conter proselitismo. Basta exibir os números. É preciso que os brasileiros tenham consciência da herança maldita deixada pelo PT. Não só isso: os dados têm de ficar disponíveis permanentemente num site e têm de ser atualizados. Se e quando o presidente precisar pedir um sacrifício adicional à população, seja na forma de corte de despesas, seja na forma de elevação da carga tributária, é preciso que as pessoas saibam por quê.

Os petistas são mestres do ilusionismo. Vejam o caso do déficit previsto para 2016. Eles mandaram ao Congresso um número : R$ 96,7 bilhões. Há uma chance razoável de ser superior ao dobro.

Se Dilma omitiu os números reais da economia na disputa de 2014 e se passou o tergiversando sobre o assunto no segundo mandato, chegou a hora de o país saber em que barafunda esta senhora nos meteu.

É preciso mais
E é preciso bem mais do que isso. Temer também tem de evidenciar os cortes nos programas sociais que já foram feitos no Orçamento deste ano: levantamento da assessoria técnica do DEM, que corrigiu os números de 2015 pelo IPCA (inflação) de 10,67%, mostra quedas reais de até 87%. É o caso da construção de creches. Se, em 2015, o valor foi de R$ 4,2 bilhões para esse fim, neste ano caiu para R$ 502 milhões. O programa Minha Casa Minha Vida perdeu 74% das verbas. No Pronatec, a diminuição foi de 59%. Programas importantes de segurança e saúde, como Crack, é possível vencer e Rede Cegonha, tiveram redução superior a 20%.

Resolução aloprada do PT, divulgada nesta terça à noite, indica a disposição do partido de partir pra cima de Temer como se o próprio partido já não tivesse passado o facão nos programas sociais; como se os mais pobres já não estivessem pagando o preço da irresponsabilidade.

E notem: os cortes de que se fala acima são os previstos com um déficit de de R$ 96,7 bilhões. Mas, reitere-se, o rombo pode chegar ao dobro.

É evidente que a população tem o direito de conhecer os números. Torná-los públicos é um dever do governo. Como diria o PT, a maioria dos eleitores, com efeito, escolheu o “Projeto Dilma”, e é forçoso que saiba o aquela senhora e seu partido fizeram com as suas esperanças.

A herança maldita do petismo tem de vir à luz.


Fonte: Blog Reinaldo Azevedo / Veja.com

Nenhum comentário: