Páginas

4 de dezembro de 2015

Zé Filho descarta reconciliação com PMDB: “Não posso ficar em um partido que é governo”

O ex-governador Zé Filho descartou qualquer possibilidade de voltar atrás na decisão de deixar o PMDB. Ele garantiu nesta sexta-feira (04/12) que no próximo ano se filia ao PPS e assume a direção da sigla no Piauí. Zé Filho alega incompatibilidade de interesses com o PMDB do Piauí.
                                                      Zé Filho seguirá para o PPS Foto: Lídia Brito/O Olho
Enquanto o partido caminha para ingressar na base de apoio do governador Wellington Dias (PT), o ex-governador pretende se manter na oposição. Zé Filho não esconde a decepção com a decisão do PMDB de se tornar governo. Ele também questiona o fato da adesão a Wellington ter ocorrido poucos meses após o processo eleitoral de 2014.
“Estivemos até pouco tempo como adversários. Eu era o candidato do PMDB contra o Wellington Dias. Fui derrotado e o partido também. Passam poucos meses e o PMDB anuncia que será governo. Não posso ficar em um partido que é governo. Sou oposição ao governo do PT tanto em nível nacional e local”, declarou.
Zé Filho fez duras críticas ao primeiro ano do terceiro governo de Wellington Dias. Segundo ele, não há nada a ser avaliado porque teria sido um “ano perdido”. “Ele não fez nada de novo. 2015 foi um ano perdido. Obras paradas e agora a polícia em greve. Não darei apoio a esse governo”, comentou.
PPS
Sobre os planos no novo partido, Zé Filho afirma que tem como principal missão fortalecer o PPS no interior do Estado. “Vou assumir o PPS em janeiro. Estamos agendando o dia e vamos fazer uma festa com a filiação. Com a presença do presidente do partido, Roberto Freire, e outras lideranças da sigla. Temos essa missão de tornar o partido grande principalmente no interior”, disse. 


Fonte: O OLHO

Nenhum comentário: