Páginas

5 de dezembro de 2015

Vereador R. Silva apresenta proposta ao governo e “Polícia Legal” pode ser suspenso

O vereador R. Silva, um dos líderes do movimento Policia Legal, esteve em reunião na manhã deste sábado (05/12) com o secretário Estadual de Segurança, Fábio Abreu, o secretário Estadual de Justiça, Daniel Oliveira, acompanhado dos deputados estaduais Evaldo Gomes e Rubem Martins e do vereador Edvaldo Marques, para apresentar uma proposta que pode levar a suspensão do movimento.
Vereador R.Silva / Foto: João Alberto / O Olho
“Eu fui autorizado pelos líderes da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, que estão com prisão decretada, a negociar o relaxamento das prisões. Nós nos reunimos agora pouco com os advogados deles e o presidente da OAB no Piauí”, disse o vereador ao O Olho, sobre a reunião com as demais autoridades já citadas.
Ainda de acordo com ele, foi apresentada a proposta de negociação que diz: primeiro "a suspensão imediata do movimento Polícia Legal, com retorno das atividades normais dos integrantes da Polícia Militar"; segundo, "aguardar a análise do pedido de liminar do habeas corpus em favor dos policiais que estão com prisão decretada pelo juiz da central de inquérito da comarca de Teresina"; terceiro,que "após a análise do pedido constante do item anterior com deferimento da revogação das ordens de prisão, no prazo de 72h da decisão, será realizada uma reunião de trabalho com comissão formada por representantes do executivo, das entidades de classe, da Assembleia Legislativa e da OAB".
“Essa proposta será entregue ao governador, pelo secretário de Segurança. Nós estamos aguardando o resultado. O movimento poderá ser suspenso, se houver da parte do governo a concordância com essa proposta”, explicou R. Silva.
O motivo do acordo, como dito pelo parlamentar, é que não vão negociar “algemados”. “A decisão dos líderes das associações é para que eu pudesse negociar, e apresentasse essa proposta em função da pauta que está para ser negociada”, completou.
Também há um mandado de prisão em aberto, contra o vereador. “A minha situação é igual [dos outros líderes], porque eu tenho um pedido de prisão que está sendo analisado também pelo Tribunal de Justiça. Não foi decidido, mas existe um pedido da decretação da minha [prisão] também”, finalizou.
A proposta poderá ser entregue pelo secretário de Segurança, Fábio Abreu, ao governador Wellington Dias, ainda neste sábado.

Fonte: O OLHO

Nenhum comentário: