Páginas

13 de agosto de 2015

Jovem tem as mãos decepadas por ciúmes do namorado

Gisele Santos, 22 anos, teve as mãos e parte de um dos pés decepados pelo companheiro no município de São Leopoldo, no Rio Grande do Sul. O crime aconteceu em 02 de agosto - 11/08/2015
Gisele Santos, de 22 anos, deixou de frequentar a escola, foi obrigada a encerrar as contas em redes sociais e já quase não saía de casa quando resolveu terminar o relacionamento marcado pelo ciúme doentio do namorado Élton Jones Luz de Freitas, de 25 anos. Estava cansada das brigas diárias, que com frequência terminavam em agressões físicas, especialmente quando o parceiro estava sob efeito de drogas. Há onze dias, Gisele chamou o namorado para a conversa derradeira após sete anos de conflito - e que ela adiava sucessivamente por medo das consequências. Naquele domingo, a primeira reação de Freitas a surpreendeu: ele ajoelhou-se e implorou perdão. Mas Gisele seguiu firme em sua decisão: "Eu disse acabou. Ou você sai por aquela porta ou eu saio". Foi quando Freitas explodiu em um rompante de fúria e cometeu um crime bárbaro que chocou a cidade de São Leopoldo, no Rio Grande do Sul. Gisele foi espancada e teve as mãos e os pés decepados por um facão.

Depois da atrocidade, Freitas saiu de casa anunciando que iria se despedir da mãe porque seria preso. Entregou-se à polícia nas horas seguintes e confessou o crime. Ele foi encaminhado ao Presídio Central de Porto Alegre.

Gisele lembra passo a passo as cenas do filme de terror. Exaltado, Freitas deu um soco contra o seu rosto, agarrou-lhe os braços e a arremessou. Ela tentou fugir, saiu do quarto em disparada em direção à porta da sala, mas o namorado chegou antes, travou a saída e tomou a chave. Gisele então sacou o celular e tentou fazer uma chamada para a mãe, o que ele também impediu. Em pânico, ela gritou por socorro, mas não deu tempo. Freitas avistou o facão que guardava em cima de um armário e disparou o primeiro golpe contra a cabeça dela. "Não acredito que você abriu minha cabeça", gritou, aos prantos, com as mãos ensanguentadas.

Ao tentar se defender da sequência de golpes, as mãos foram dilaceradas. Freitas ainda perfurou outras partes do corpo da namorada e deixou a casa com a certeza de que ela estava morta. "Escutei ele dizer: 'Vou dar um beijo na minha mãe porque vou ser preso e você está morta, desgraçada'", lembra Gisele.

Gisele sobreviveu graças à ajuda de uma vizinha que ouviu seus gritos e a encontrou ensanguentada no quarto. Sua mãe foi acionada pelo telefone e chegou ao local antes mesmo do socorro médico. Gisele ficou quatro dias internada na UTI do Hospital Centenário, passou por cirurgias para reimplantar os pés, mas, as mãos não puderam ser reimplantadas. Seu estado de saúde ainda é delicado - a rejeição dos implantes não é descartada.

A família mudará de cidade por medo de que Freitas seja solto. Os amigos criaram um grupo no Facebook, batizado "Corrente do Bem", no qual pedem doações de fraldas e lenços umedecidos, além de quantias em dinheiro para tentar comprar próteses.


Fonte: Veja.com

Nenhum comentário: