Páginas

25 de junho de 2015

Valdeci Cavalcante acusado de praticar agiotagem, faz denúncia à polícia


Por Dulce Furtado

O presidente do SESC no Piauí, o empresário Valdeci Cavalcante (foto) está sendo acusado de agiotagem e ameaças que teriam culminado com a morte de um empresário no município de Parnaíba. A denúncia está sendo feita pelo advogado Mauro Monção da Silva, que entrou com uma ação na Vara Cível da comarca de Parnaíba. Valdeci, no entanto, nega e recorre à Polícia, para resolver a questão.
De acordo com o processo, protocolado nesta quarta-feira (24), um grupo de homens, que trabalhariam para Valdeci Cavalcante, teriam invadido um imóvel em litígio, derrubado o portão e passado a realizar uma construção de um muro, para que ninguém mais pudesse ter acesso às terras. Segundo o advogado, a atitude teria sido tomada após um acordo de agiotagem de seu cliente com o empresário Valdeci, que não teria sido pago.

“O meu cliente era uma empresário aqui de Parnaíba e se envolveu com agiotagem com o Dr. Valdeci Cavalcante. Como garantia do pagamento da dívida foi feito uma simulação de venda de alguns imóveis. Como não foi feito o pagamento, o empresário começou a pressionar meu cliente com ameaças, o que fez com que tivesse um infarto e falecesse”, detalhou Mauro Monção explicando que, apesar do falecimento de seu cliente, Valdeci Cavalcante continuou com as ameaças e invadiu um imóvel em litigio da família.

A ação aconteceu na manhã da última quarta-feira (24) e no mesmo dia a filha do empresário falecido, Suellen Sousa Fontenele, fez um Boletim de Ocorrência (BO) denunciando o caso. Ela relatou no BO o fato da agiotagem e as ameaças que podem ter levado na morte do pai, e detalhou a invasão a um dos seus imóveis por parte do empresário Valdeci Cavalcante. 

“Dr. Valdeci Cavalcante passou a fazer ameaças de que seria feito o despejo da família e que seria murado um dos imóveis para que ninguém tivesse acesso ao local”, relata o BO, falando ainda que a família pede as providencias cabíveis pela polícia no caso. 
Procurado pelo Portal AZ, o empresário Valdeci Cavalcante afirmou que tudo não passa de uma ameaça contra a sua pessoa e que ele não aceita esse tipo de situação. “Tudo isso não passa de uma chantagem como mim. Eu comprei esse terreno, um acordo feito com o falecido. Depois que ele morreu, a sua viúva não que me passar o terreno e vem me ameaçando junto com seu advogado”, explicou.

Valdeci Cavalcante afirmou que no momento em que estava murando o terreno, que afirma ser seu, a família do falecido invadiu as terras para impedir. “Eles invadiram o terreno que agora é meu, no maior atrevimento. O advogado entrou até com uma liminar como mim e já até perdeu”, afirmou.

Na manhã desta quinta-feira (25) Valdeci Cavalcante se reuniu com o secretario de segurança Fabio Abreu e com o delegado geral Riedel Batista para falar sobre o assunto e segundo ele, está sendo resolvido. “O assunto esta sendo resolvido”, disse.

O empresário enviou ao Portal AZ o documento apresentado a Secretaria de Segurança Pública nesta quinta-feira e nele é declarado que os familiares do falecido “estão utilizando de todos os meios coercitivos e até mesmo de violência e chantagem para impedir que se faça o requerido muro”. 

Veja abaixo o documento do empresário Valdeci Cavalcante, o processo feito pelo advogado Mauro Monção e a liminar negada pelo juiz Mauro Augusto de Resende:

Fonte: Portal AZ

Nenhum comentário: