Páginas

17 de maio de 2015

PMs propagam 'Operação Tartaruga' e governo diz que tenta negociação

Policiais Militares anunciaram ainda na noite deste sábado (16/05) o início da Operação Tartaruga, em resposta à insatisfação com as negociações do reajuste que deveria ser aplicado pelo governo do Estado, mas que ficará "pra depois" já que as contas públicas não suportariam o implemento na folha de pagamento.
Ainda na tarde deste sábado o governo recebeu as categorias ligadas à segurança em uma reunião no Quartel do Comando Geral da Polícia Militar. A proposta oferecida de imediato foi o reajuste de 50% para o mês de maio e outros 50% para o mês de janeiro do ano que vem. Na proposta está ainda a antecipação da parcela de janeiro de 2016, caso o fluxo financeiro do Estado melhore no terceiro quadrimestre.
Apesar do movimento ser oficialmente negado, fontes policiais confirmaram ao 180 que esta noite será sim dado início à Operação Tartaruga e que deve seguir até o dia 25. Em algumas cidades, como Pau D'Arco e Altos, os poucos policiais que fazem a segurança dos municípios, estão aquartelados nesta noite. E se de um lado mais uma vez o Policial Legal pode ser deflagrado, do outro o governo tenta uma forma de evitar uma paralisação geral na segurança, até mesmo porque delegados e peritos já anunciaram paralisação.
Em notícia publicada no site do governo, o secretário de Administração Franzé Silva garante que a reunião desta tarde se deu em clima animoso. "Foi uma conversa boa e amigável com as categorias. Eles entendem as dificuldades do governo e nós entendemos as necessidades deles. Nosso desejo é chegar a um entendimento que seja bom para o Estado e para os servidores", declarou.
Do outro lado, o secretário de Segurança Fábio Abreu reforça o desejo de avançar na política salarial para os militares. "Estamos abertos para mostrar todos os números e as limitações a qualquer pessoa. Queremos avançar criando uma política salarial para os militares e precisamos da compreensão deles para que isso seja efetivado da melhor forma", disse o secretário.
Mas nos grupos de WhatsApp, policiais dizem que qualquer notícia sobre acordo com a PM, que não seja o cumprimento da lei aprovada pela Assembleia Legislativa, é uma tentativa de "ludibriar a sociedade".
Imagem que está sendo bastante propagada em grupos de policiais militares no WhatsApp

Fonte: 180 Graus

Nenhum comentário: