Páginas

7 de abril de 2015

Presidente da FIEPI comenta panorama industrial

Na edição Nº 10 da Revista FIEPI, o presidente da instituição, Zé Filho, analisa o panorama atual da indústria local e nacional, fala da meta a que a Federação das Indústrias do Estado do Piauí se propõe para alcançar em 2015 visando o fortalecimento do setor. Na entrevista ele esclarece ainda que os Sindicatos têm papel preponderante neste sentido.

Segundo Zé Filho, a FIEPI representa o setor industrial e seu trabalho permanente é no sentido de fortalecê-lo, certo de que o desenvolvimento da indústria representa uma alavanca econômica das mais importantes para o crescimento sustentado de qualquer Estado ou região. “O Piauí precisa avançar neste ponto”, ressalta.

Para ele, a indústria brasileira vem, por vários motivos, atravessando uma fase difícil. Seu desempenho não tem sido bom, por causa de questões como da infraestrutura, logística, custo Brasil, confiança do empresário na política econômica e juros elevados, entre outras situações. “Isso vem dificulta sua expansão relativas e quem sofrem mais são as regiões mais carentes. Infraestrutura inadequada representa um gargalo, um entrave para o crescimento do setor”, analisa o presidente da FIEPI.
Com relação política econômica dos governos federal, estadual e municipal, ele diz que “quem dita a política macroeconômica é o Governo Federal, mesmo assim esclarece que a Confederação Nacional da Indústria – CNI está constantemente levando seus pleitos, suas sugestões e dificuldades por que passam a indústria como porta voz da classe industrial.
Segundo Zé Filho, as federações estaduais cumprem o seu papel no plano local reivindicando e sugerindo aquilo que cada Estado, dentro de suas atribuições, pode fazer induzindo o fortalecimento industrial, que trará consequentemente melhoria no desempenho da economia.
Zé Filho diz ainda que a FIEPI, por meio de suas entidades, SESI, SENAI e IEL tem dispensado atenção especial à indústria piauiense oferecendo ao trabalhador e seus dependentes, educação básica e qualificação profissional, como ações determinantes para a preparação de mão de obra adequada para atender a demanda do setor.
O presidente da FIEPI fala também do processo de interiorização dos serviços do SESI e SENAI que continua avançando. “Tem sido uma meta mais recente da FIEPI,  levar seus serviços a outras regiões do estado onde a federação não atuava. O Piauí é extenso e a FIEPI tem que fazer um esforço para estar mais próxima dos que fazem a indústria mesmo nos rincões mais distantes. Este trabalho nós iniciamos e vamos continuar para onde houver demanda”, concluiu.
JÂNIO HOLANDA - ASCOM - FIEPI

Nenhum comentário: