Páginas

2 de abril de 2015

Catarata: oftalmologista orienta como evitar a doença

IMPERATRIZ – Definida como uma lesão ocular que atrapalha a entrada de luz nos olhos e acarreta a diminuição da visão, a catarata pode levar desde pequenas distorções visuais até a cegueira, segundo o médico oftalmologista Antônio de Pádua.
Inúmeros fatores de risco podem provocar ou acelerar o aparecimento de catarata, como é o caso de medicamentos, substâncias tóxicas, doenças metabólicas, traumas, radiações e outras oculares.
Segundo o oftalmologista, existem três tipos de catarata: a congênita (presente ao nascimento); a secundária (devido a fatores variados); e a senil (opacidade do cristalino). Esta última representa 85% dos casos classificados, sendo que a maior incidência é na população acima de 50 anos.
“A medicina ocular avançou nestes últimos anos, pois hoje é possível colocar uma lente dentro do olho e a pessoa que tinha 20 graus, ficar apenas com dois ou um, assim como evoluiu o videocatarata que possibilita colocar lentes e corrigir a capacidade visual, oferecendo mais conforto”, afirma o médico.
De acordo com Antônio de Pádua, a correção cirúrgica é a única opção para a recuperação da capacidade visual do portador de catarata. “A catarata é reversível. A pessoa fica cega hoje, mas depois da intervenção cirúrgica a função perdida é recuperada”, garante ele, explicando que na cirurgia o cristalino danificado é substituído por uma lente artificial.
O médico recomenda que a pessoa deve evitar ambientes com muita luz solar, devendo utilizar óculos com proteção ultraviolenta. Se a pessoa for trabalhar no ambiente com sol utilizar chapéu ou boné e, em caso de fornos, proteger os olhos.

Outra dica do oftalmologista é evitar usar colírios, principalmente, os que contém corticoides, sem recomendação médica e respeitando o prazo determinado pelo médico para aplicação do medicamento.

Fonte: Imirante.com

Nenhum comentário: