Páginas

3 de fevereiro de 2015

Porca de estimação de 90 quilos dorme na cama e toma refrigerante

Com cerca de 90 quilos aos 7 meses de vida, a porca de estimação 'Chica' tem uma criação digna de princesa. Diferente dos outros suínos que são abatidos pelos donos ou vivem em chiqueiros quando chegam à fase adulta, o animal domesticado é considerado integrante da família da estudante Jerusa de Freitas, de 15 anos, que oferece para o animal mimos e mordomias. A história da porca chamou a atenção dos moradores do bairro Marco Zero, na Zona Sul de Macapá.
 
Em entrevista à equipe de reportagem da Rede Amazônica no Amapá, Jerusa contou que ganhou a porca quando ainda era filhote e desde então começou a dar regalias ao animal.
"Eu dava leite para ela. E toda vez que ia para o quarto do meu irmão, eu a colocava na cama e a embrulhava na frente do ventilador", lembrou a jovem.
Chica foi crescendo e quando Jerusa tentou retirá-la de dentro de casa já era tarde, segundo conta. Ela disse que a porca ficou mal acostumada com o tratamento e "se recusou a deixar o conforto do lar da família".
Além de querer ficar só na cama, a porca só dorme se Jerusa cobri-la com lençóis e lhe oferecer carinho.
"Ela não quer que eu durma longe dela. Se eu me sair ela chega mais perto de mim. Se pudesse me jogar da cama, ela faria", disse.

Além do cuidado na hora de dormir, Jerusa disse que teve de conseguir roupas para vestir o animal. Chica toma banho com xampu três vezes por semana e pinta as unhas frequentemente. A estudante iria colocar brincos no animal, mas a mãe, Dorcas da Silva, não permitiu.
Chica toma banho três vezes por semana (Foto: Reprodução/TV Amapá)Chica toma banho três vezes por semana
(Foto: Reprodução/TV Amapá)
É Dorcas quem fica responsável pela alimentação de Chica, que, segundo ela, é o mesmo tipo de comida que a família consome.
"A Chica não come comida estragada, fruta estragada. Feijão de um dia para o outro ela também não come", disse a dona de casa. Para beber, a porca também foge à regra e todos os dias toma refrigerante gelado.
O pai de Jerusa, Aldenir Pereira, confessou que nem ele recebe a mordomia que Chica ganha. No início, ele conta que estranhou a convivência com o animal, mas depois se acostumou.
"Eu acho que eu vou virar porco porque não tenho toda essa mordomia. Queria receber um banho desse para ir para a cama. Eu sonho toda noite comendo a costela dela assada, mas com toda essa mordomia que ela tem isso não vai acontecer", disse, bem humorado.
Jerusa não pensa em sacrificar a porca e diz que o animal é uma 'pessoa da casa'. "Vou continuar tratando-a dessa forma", avisou.

Fonte: G1

Nenhum comentário: