Páginas

15 de fevereiro de 2015

Holandês é morto a tiros dentro de embarcação, no litoral de São Luís

SÃO LUÍS – Um holandês, identificado como Ronald François Wolbeek, 60 anos, foi morto a tiros na madrugada deste domingo (15), no litoral maranhense, nas proximidades do Iate Clube de São Luís.                                     
  Foto: Divulgação
Segundo informações preliminares da Companhia de Turismo Independente (CPTur), a vítima estava em companhia de sua mulher, Maria Rawie, 69 anos, em um veleiro turístico com bandeira da Holanda, desde às 17h desse sábado (14).
   Foto: Divulgação
Por volta da 0h deste domingo (15), o alarme do barco disparou e Ronald foi verificar o que tinha acontecido, foi quando ele se depararam com duas pessoas a bordo de sua embarcação. Houve uma discussão, e um dos homens deu dois tiros, um dos disparos atingiu o peito de Ronald Wolbeek.
Segundo informações da mulher da vítima, ela chegou a limpar o ferimento de Ronald. Quando percebeu que ele estava ofegante, ela pegou um bote salva-vidas e pulou na água, mas não tinha forças para remar até a praia, pois é uma idosa de 69 anos. Como a maré a estava levando para o mar, Maria afirma que saltou do bote e veio nadando até a região do Iate Clube. Quando ela chegou ao Iate, eram mais de 3h. Ela se deslocou a pé até aonde avistou um carro da CPTur e relatou o caso.
Maria informou, ainda, à polícia, que após o crime, os criminosos fugiram sem levar nada da embarcação. Tinha uma terceira pessoa esperando por eles em um pequeno barco a motor, em que fugiram.
Maria Rawie foi levada para o Plantão da Beira Mar, onde será ouvida. O corpo de Ronald Wolbeek já foi conduzido para o Instituto de Criminalística (Icrim).
Segundo o major Roberto, comandante da CPTur, o casal estava no Brasil desde o dia 21 de dezembro. O barco, que foi um presente dos pais do holandês Ronald Wolbeek, estava margeando o litoral brasileiro. Eles estariam velejando por várias partes do mundo e, antes de chegar à São Luís, eles tinham passado por Fortaleza. O casal chegou à baía de São Marcos por volta das 17h desse sábado (14), mas não atracaram no cais.
A polícia maranhense vai buscar, das autoridades superiores, informações sobre a situação dos holandeses no país, e vai investigar a origem dos criminosos.
Após a conclusão do boletim de ocorrência e do laudo pericial, a polícia do Maranhão vai informar a Polícia Federal e o consulado holandês, para que tomem as devidas providências.


Fonte: Imirante.com

Nenhum comentário: