Páginas

16 de janeiro de 2015

Uso frequente de enxaguante bucal com álcool pode causar câncer de boca

Uso frequente e por longo prazo de enxaguantes bucais com álcool pode aumentar até quatro vezes o risco de câncer de boca, explica oncologista
Usar enxaguante bucal pode parece um excesso de higiene inofensivo, mas não é. Estudos associam o uso frequente e a longo prazo dos antissépticos bucais com o aumento da incidência do câncer de boca. É sabido, atualmente, que o consumo de bebida alcoólica é um dos fatores de risco para desenvolver a doença, mas, para isso, a pessoa deve beber com frequência. Como os enxaguantes bucais com álcool contêm uma porcentagem etílica alta, o risco pode ser equiparado com aquele de quem bebe todos os dias.
O oncologista e diretor do núcleo de cabeça e pescoço do Hospital A.C. Camargo Cancer Center, Luiz Paulo Kowalski, conta que quem usa diariamente e por um extenso período esse tipo de enxaguante bucal tem um aumento de três a quatro vezes da chance de desenvolver câncer. “Ao menos há uns 50 anos se atribui ao álcool e tabaco os riscos do câncer de boca”, diz o médico.
O álcool pode eliminar bactérias protetoras e facilitar a multiplicação daquelas substâncias maléficas que eventualmente são resistentes. As bactérias, então, transformam o etanol em acetaldeído, substância altamente cancerígena. E daí vem o risco que os médicos tanto falam.
O estomatologista Artur Cerri explica que o uso frequente agride a flora normal da boca. “Alguns enxaguantes contêm potentes antibióticos, e esses medicamentos não são seletivos: matam bactérias boas e ruins. Aquelas que fazem a defesa da boca são mortas e os fungos insensíveis aos antibióticos podem se proliferar.”
Kowalski exploca que aqueles que usam esses enxaguantes bucais com álcool esporadicamente não precisam se preocupar. Para quem usa no dia-a-dia ou até mais de uma vez por dia, no entanto, o médico dá o alerta. 
O câncer de boca mais comum e ligado ao cigarro e ao álcool – seja ele de enxaguantes bucais ou de bebidas alcoólicas –, é o carcinoma epidermóide. “Mais de 90% dos casos estão associados a esses agentes, além do HPV”. De acordo com Kowalski, é comum ver pessoas jovens, não tabagistas, com câncer de boca.
Enxaguantes bucais não são essenciais para uma boa higiene bucal
Para quem está preocupado em ter cáries se parar de usar enxaguantes bucais com álcool diariamente, o estomatologista Artur Cerri explica que eles não são essenciais para uma boa higiene bucal.
“Basta uma boa escovação e uso de fio ou fita dental”, explica ele. Enxaguantes são recomendados apenas antes de cirurgias – para a prevenção de infecções.
Segundo ele, as pessoas encaram o antisséptico como se não fosse remédio. O que é errado. “Eles são medicamentos. Alguns até têm antibióticos e anti-inflamatórios”, diz.
Prevenção do câncer de boca
O oncologista do A.C. Camargo explica que o primeiro passo para evitar o câncer de boca é não usar nada que possa causar a doença.
“Ter boa higiene bucal, não fumar, não beber em excesso, se alimentar bem, principalmente de frutas cítricas e vegetais verdes. Eles são protetores”, recomenda o médico. Kowalski diz que, se a pessoa optar por usar enxaguantes bucais com frequência, que prefira os sem álcool.

Fonte: Ig.com

Nenhum comentário: