Páginas

9 de dezembro de 2014

Jornal Meio Norte diz que Wellington vai demitir cerca de 11 mil prestadores de serviço

Regina Sousa(Imagem:Bárbara Rodrigues/GP1)
Regina Sousa
De acordo com o jornal Meio Norte, em sua edição de hoje, o governador eleito Wellington Dias (PT) que assumirá no dia 1° de janeiro de 2015, vai afastar cerca de 11 mil trabalhadores de serviços prestados contratados por empresas terceirizadas. Segundo o jornal, a coordenadora da Comissão de Transição do governador eleito, Regina Sousa, disse que administração pública precisa de pouco mais de 4 mil prestadores de serviço, principalmente para as funções de vigilante de órgãos e repartições públicas, e não os atuais 15 mil.

Regina Sousa declarou que as empresas terceirizadas que não conseguiram o empenho no atual governo das despesas da contratação de funcionários de serviços prestados não poderão receber o pagamento de forma direta e terão que ingressar com ações na Justiça e caso tenham êxito as dívidas serão transformadas em precatórios (dívidas judiciais).

Regina Sousa afirmou que parte das contratações de servidores terceirizados ocorreu durante o período eleitoral. “Houve contratação sem necessidade, isso não dá para negar. As próprias empresas nas conversas particulares conseguiram soltar alguma coisa. Vamos conversar com as empresas porque se tem a necessidade de limpeza e vigilância, mas eu acho que não deve chegar a 4 mil, 5 mil. Podemos fazer contratações momentâneas, tem um pico de necessidade, mas depois libera. Ocorreram contratações com interesse eleitoral e temos agora 15 mil servidores terceirizados”, afirmou Sousa.
Governador vai demitir 11 mil prestadores de serviços afirma Jornal Meio Norte(Imagem:Reprodução/Meio Norte)
Regina Sousa falou que o Governo do Estado possui 3.300 servidores comissionados, de confiança, mas a máquina administrativa acaba aumentado o número de comissionado pagando salários mais altos a alguns terceirizados. “Você pode pagar um servidor efetivo e dar a gratificação, sem ser um DAS (Direção da Administração Superior)”, falou.



Fonte: GP1

Nenhum comentário: