Páginas

25 de novembro de 2014

Mortes no Porto das Barcas foram ocasionadas por motivo fútil, diz policia

Delegado Artur Barros Leal
O delegado Artur Barros Leal ouviu na manhã de hoje(25/11) na delegacia de homicídios anexo à delegacia regional de policia localizada no bairro Nova Parnaíba, algumas testemunhas da tragédia ocorrida na tarde de ontem no Terminal Turístico do Porto das Barcas em Parnaíba.
O homicídio duplo foi qualificado por motivo fútil. ou seja, por um motivo banal, insignificante, oriundo de motivos financeiros, como descontentamento e algo parecido, gerado por uma discussão acerca do fato, onde sua empresa, Morais Brito, passava por dificuldades.
Em consequência disso, o atirador efetuou os primeiros disparos contra a pessoa de Mateus Portela(Clip Turismo), atingindo as costas da vítima com vários tiros de um revólver calibre 38, com capacidade para 5 munições no tambor.
Na sequencia, ele tentou atirar contra o gerente da Clip, momento que foi impedido pela sua esposa Socorro Morais, que ficou na frente da mira do revólver e chegando a levar dois tiros, um no peito e outro no pescoço.
Posteriormente o atirador seguiu para casa do turista, que fica ao lado da sua loja e tentou efetuar disparos contra o gerente, não sendo possível por que o tambor do revólver descarregou, ocasião em que a suposta vítima empreendeu fuga do local para não ser morta.
Nesse momento os disparos foram suspensos e o atirador seguiu para o restaurante Rios, adentrou no banheiro e atirou contra o próprio pescoço.
A informação repassada pelo delegado Artur Barros Leal, é que foram efetuados 11 disparos: 5 acertaram Mateus Portela, 2 tiros em Socorro Morais, 3 tiros sem alvo e 1 do suicídio. O atirador carregava mais 11 munições intactas totalizando 22, sendo 11 deflagradas. A arma estava registrada em seu nome Edilson Galeno Brito, mas sem porte para manuseá-la.
 
 
Fonte: Catita

Nenhum comentário: