Páginas

29 de outubro de 2014

Pizzolato afirma que fugiu para não morrer. É mesmo? Quem será que queria matá-lo?


Há algo bastante intrigante no caso Henrique Pizzolato, que saiu da cadeia nesta terça, na Itália. E nada tem a ver com o fato de o país ter negado a sua extradição. Isso já era o esperado. Eu me refiro é a outra coisa: ao responder por que fugiu do Brasil, afirmou: “Eu não fugi, eu salvei minha vida. Você acha que salvar a vida não vale a pena?”.
É mesmo?
Quem gostaria de matar Henrique Pizzolato? Certamente não seria, sei lá, alguém interessado em que ele contasse os bastidores do mensalão. Se Pizzolato fala a verdade e se sua vida realmente estava em risco, parece que os suspeitos seriam os interessados no seu silêncio.
Reproduzo trecho de sua entrevista:
O sr. se sente abandonado por alguém? Seu sogro acusou a presidente Dilma de não ter feito nada para lhe ajudar. O que o senhor tem a dizer?
Nada. O meu sogro fala por ele, é maior de idade.
O sr. recebeu apoio do PT?
Eu não pedi apoio ao PT
(…)
Valeu a pena fugir?
Eu não fugi, eu salvei minha vida. Você acha que salvar a vida não vale a pena?
O sr. estava sendo ameaçado?
O que você acha?
(…)
O senhor estava sendo ameaçado de morte então?
Não sei, pergunte aos brasileiros, o que eles fizeram.
(…)

Por Reinaldo Azevedo / Veja.com

Nenhum comentário: